Tipos de vinhos

Hoje vamos falar sobre os tipos de vinhos e como eles são feitos. Para começar vamos falar sobre o branco, porque todos os outros processos são praticamente iguais ao do branco. O que vai diferenciar é muito pouca coisa que vai determinar qual o tipo de vinho que tem pela frente.

vinho-brancoNo vinho branco, as uvas são colhidas, depois separam todos os galhos e as impurezas, ele vai pra uma prensa. A prensa literalmente aperta aquela uva, tirando aquele mosto, suco da uva, separando da casca e da semente, ele vai para um tanque de aço inox, onde é feita a inoculação com levedura, igual ao fermento de pão. Essa levedura vai comer aquele açúcar da uva e vai transformar em gás carbônico e álcool, no caso do vinho branco, o gás carbônico é dissipado, ou seja, o tanque está aberto para que não seja comprimido e vire a borbulha e fica somente o álcool, dependendo de cada enólogo, ele vai deixar um certo tempo dentro do tanque fermentando, o vinho branco, terminando a fermentação, pode ir para barril de carvalho ou vai direto para filtração para ser engarrafado para virar um vinho branco.

vinho-roseNo vinho rosé o processo é igual ao do branco, só que pode ser feito de duas maneiras. Fermenta-se uma uva branca e fermenta-se uma uva tinta. Após o processo pronto, faz-se uma mistura das duas uvas, então o enólogo vai determinar qual a quantidade que ele quer exata de vinho branco e de vinho tinto, para chegar na coloração. O outro mais tradicional é quando ele pega a uva tinta e faz o processo de fermentação, só que durante a maceração, ele deixa muito pouco tempo. Questão de minutos ou então de uma hora. Este vai extrair essa cor até a cor que ela quer.

vinho-tintoO vinho tinto, o mais conhecido por todos nós, o mais vendido e que todo mundo adora, além de ter os maiores benefícios para o corpo humano, ele é feito igualmente ao vinho branco, só que o contato da casca é um pouco maior. As uvas são tintas, quanto mais contato, mais cor será extraída e mais estrutura de corpo o vinho terá. Depende do estilo do enólogo, o que ele quer apresentar para o consumidor.
 

 

vinho-espumanteO vinho espumante é super complicado, quase ninguém sabe como tomar, o que é um vinho, o que é um espumante, vinho espumante é um vinho gaseificado, feito naturalmente, ele é fermentado igual ao vinho branco e depois acontece uma segunda fermentação, nessa segunda fermentação, o gás carbônico é comprimido dentro de um tanque de aço inox ou dentro da própria garrafa feita em champanhe na França. A maioria é feita em aço inox, o processo é mais acelerado, mais rápido e mais fácil, além de mais barato. Por isso os espumantes são mais baratos. O gás fica todo comprimido e enjaulado na garrafa.

vinho-licorosoO vinho licoroso é feito com colheita tarde, porque a uva é demorada para ser colhida das parreiras, a uva passa por um processo de pacificação, virando uma uva passa branca, após virar a uva passa, a concentração de açúcar é muito grande. Assim sobra um residual de açúcar um pouco maior no vinho, sendo o grau de álcool muito maior, quanto mais açúcar, maior o nível de álcool. Depois o processo é igual ao vinho branco.
 

vinho-portoO vinho do porto é muito visto nos restaurantes, muitas pessoas gostam de comprar porque acham que literalmente veio do porto de Portugal. O que difere o vinho do porto é o processo que é feito, ele vem da região do Porto em Portugal, só que a fermentação é interrompida num processo que vai deixar ele num nível de açúcar um pouco maior que os outros e depois é inserido um licor de expedição, como se fosse uma cachaça de vinho, elevando o nível de álcool no vinho. Com o aguardente vínica o álcool eleva e o açúcar também fica elevado, formando o vinho do porto.
Espero que vocês tenham gostado da explicação. Até a próxima.

Como escolher um bom vinho

vinho_img3

Quando você vai em uma adega, o mais importante é você conhecer no seu paladar, com o tempo você vai aprendendo as regiões, vamos pegar um pouco de conceite de terrouart porque isso vai facilitar a sua escolha para atingir a sua necessidade. Temos vinhos da Fraça da região de bourgne, um vinho argentino, um grande e renomado produtor argentino, um chileno e outro argentino. Esse último eu gosto de explicar o porquê deixar os dois argentinos porque existe uma certa diferença entre eles.

Toda a nomenclatura da de produção dos vinhos franceses, quem quer seguir os padrões de qualidade franceses, ele precisa ter as siglas  AOC que está especificado na embalagem bem embaixo, mas o mais importante também é você conhecer o produtor. O produtor vai definir a característica, a forma de como ele produz os vinhos dele, não necessariamente também que seja um pinout no at, você pode escolher outros tipos de vinhos feitos pelo produtor que te agrade, isso facilita muito a escolha também.

vinho_img5

O Luigi Bosca tem uma identidade de ser um vinho untuoso, aquele vinho que prega mais a boca, aquele vinho que tem mais persistência na boca também, devido a alguns segredos do produtor que ele faz a fermentação malolática. Esse é o segredo desse vinho. A linha do Luigi Bosco dos Reservas.

Montes é um vinho que tem a caracaterística do vinho chileno, aquele vinho com bastante estrutura, aquele vinho encorpado.

Existem pessoas que tem problemas com conservantes, dióxido de enxofre, ou que prefere vinhos mais naturais, então esse vinho Chacra é um vinho biodinâmico. É produzido no rio negro na patagônia, não tem doenças de fungos, ele só simplesmente é plantado lá e é um excelente vinho também.

Esses são os vinhos mais leves aos vinhos mais encorpados porque isso também influencia o seu paladar. O Joseph Drouhin tem 12,5% de graduação alcoólica, é um vinho mais leve, tem uma certa fruta, o Luigi Bosca tem 13% de graduação alcoólica e os vinhos chilenos são mais encorpados. Chegam a 14%. Vai de acordo com o seu paladar.

O Chacra como o Luigi  Bosca seguem a mesma graduação alcoólica. Agora vamos inverter um pouco a sequência para você aprender a pronunciação da fruta. O sabor da fruta do vinho.

vinho_img1

Essa sequência segue o sabor do vinho. No caso, o mais delicado, aquele que é bem pronunciado é o Montes da Vina Montes, na sequência o Luigi Bosca, o Chacra e por final o Bourgogne.

Nessa dicas que eu passei você vai montar esse quebra-cabeça até atingir o seu paladar, uma dica importante é que sempre quando você vai comprar o vinho, escolher um vinho, tenha sempre em mente o que você vai desejar comer, se é um grelhado, um peixe, uma comida mediterrânea. Porque a partir disso, quando você chegar a loja, você pode dar um parâmetro para o profissional que está lhe atendendo. Ou seja, os melhores restaurantes sempre tem um profissional para auxiliá-lo. Quando você vier ao Santo Vino Ristorante, eu estarei aqui para poder auxiliá-lo da melhor forma possível para atender a sua necessidade de harmonização.

Muito obrigado e até o próximo post.